Frontier – O Todo-Poderoso

Os EUA voltam a dar que falar ao disponibilizarem mais de 600 milhões de dólares para a construção do Frontier, o novo supercomputador com o sistema à exaescala mais poderoso do mundo. O supercomputador terá um impacto profundo não só na inovação científica e no desenvolvimento da tecnologia, como também na competitividade económica, produção de energia, simulação de novos materiais ou descoberta de novas teorias no domínio da Física e da Astronomia.

Segundo um comunicado do U.S. Department of Energy, os EUA disponibilizaram mais de 600 milhões de dólares para a construção do Frontier, o novo  supercomputador à exaescala mais potente do mundo, cuja capacidade de desempenho será superior a 1,5 exaflops ou seja, 1.500.000.000.000.000.000 de cálculos por segundo.

Ao efetuar cálculos até 50 vezes mais rapidamente do que os supercomputadores atuais, o Frontier necessitará de 90 milhas, ou cerca de 145km de cablagem, e terá uma área de cerca de 680 m², ou o equivalente a quase dois campos de basquetebol, que irá ocupar no Oak Ridge National Laboratory.

Com a estreia prevista para 2021, “o Frontier acelerará a inovação em IA (Inteligência Artificial), fornecendo aos investigadores norte-americanos dados e recursos de computação de nível mundial para garantir que as próximas grandes invenções sejam efetuadas nos Estados Unidos” disse Ricky Perry, secretário da Energia dos EUA. “O seu desempenho record garantirá a capacidade do nosso país de liderar o mundo na ciência, melhorando as vidas e a prosperidade económica de todos os americanos e do mundo inteiro”, sublinhou ainda.

A integração de IA com análise de dados e modelagem permitirá que as simulações efetuadas reduzam drasticamente o tempo de obtenção de resultados e por consequência o tempo despendido em novas descobertas ao reconhecerem automaticamente padrões nos dados introduzidos, orientando as simulações para lá dos limites das abordagens tradicionais.

Investigadores e cientistas aproveitarão a poderosa arquitetura do Frontier para promover a ciência e acelerar as descobertas científicas em aplicações como a biologia de sistemas, ciência de materiais, produção de energia, aumentar a competitividade económica e a segurança nacional, aprofundar a pesquisa de novos tratamentos, curas e medicamentos, testar novas teorias nos domínios da Física e da Astronomia, entre tantas outras. Poder-se-á dizer que os sistemas à exaescala são a nova Era da Humanidade.

Para mais informações, clique aqui

Quer explorar a Supercomputação na sua organização?

Nome*
Email*
 

Telefone*
Descrição*

* Campos obrigatórios