Crise Brasileira Desliga Santos Dumont

Santos Dumont, o maior supercomputador da América Latina, inaugurado em janeiro deste ano em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, no Laboratório Nacional de Computação Científica, sofre com a crise brasileira e compromete estudos e pesquisas em curso sobre o vírus Zika, Alzheimer, Dengue, entre outros.

Considerado o maior supercomputador da América Latina, o Santos Dumont, é um dos 4 mais rápidos do Brasil, país do mundo que no final de 2015 se apresentava em 10º lugar no ranking global com mais supercomputadores, dispondo de 6 máquinas de alto desempenho segundo o G1 da Globo. Com uma capacidade de realizar 1,1 quatrilhão de operações de soma e subtração por segundo, é um milhão de vezes mais rápido do que um notebook comum e representa uma conquista importante para a comunidade científica brasileira, ao possibilitar que projetos antes efetuados fora do País, fossem agora efetuados no Brasil. No entanto, projetos e promessas de resultados rápidos para diversas pesquisas, ficam agora em stand by com a paralisação do Santos Dumont, que foi recentemente desligado devido à falta de recursos do Laboratório Nacional de Computação Científica.

Com o reflexo da crise brasileira a fazer-se sentir, esta paralisação implica que o supercomputador Santos Dumont, possa vir a sofrer danos irreversíveis, quer na máquina em si, quer em toda a infraestrutura de suporte ao equipamento, conforme explicou o coordenador de tecnologia do laboratório, Wagner Leo, ao CBN. Nos últimos dias, de forma a evitar danos na sua estrutura, o supercomputador passou a ser ligado apenas algumas horas por dia, correndo o risco de vir a ser totalmente desligado em setembro, diante da imprevisibilidade da chegada de recursos para a energia elétrica, não havendo por isso condições para explorar todo o seu potencial.

Das seis pesquisas realizadas atualmente e outras 75 já em fila, nunca em laboratório se conseguiu alcançar os resultados obtidos numa das poucas tarefas concluídas pelo supercomputador, que levou apenas três días para identificar as cadeias de proteínas que podem ser usadas no tratamento da doença de Alzeimer, O mapeamento genético do vírus Zika vê agora adiadas as pesquisas em curso, assim como a Dengue, o Sistema Vascular e ainda projetos na área da Energia, Petróleo e Gás, originando prejuízos incalculáveis para a Comunidade Científica, com um importante impacto sócio-económico nas mais variadas áreas.

Com um custo de R$ 60 milhões e um gasto mensal a rondar os R$ 500 mil em energía, o supercomputador Santos Dumont passou a consumir 80% dos recursos do laboratório, tornando impossível manter o seu funcionamento integral. Um investimento vultuoso, com formação de pessoal que demorou muitos anos a concluir e que corre agora o risco de ser desperdiçado, face à insustentabilidade do projeto mediante a crise financeira que o Brasil atravessa.

Quer explorar a Supercomputação na sua organização?

Nome*
Email*
 

Telefone*
Descrição*

*Campos obrigatórios